SORO ANTILATRODÉCTICO

INSTITUTO VITAL BRAZIL, 2016

soro antilatrodéctico (latrodectus curacaviensis):: Instituto Vital Brazil S.A.
Solução Injetável
300 DL50/ 2 mL
soro antilatrodéctico (latrodectus curacaviensis): (imunoglobulina heteróloga contra veneno de latrodectus sp )

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

APRESENTAÇÕES

Solução injetável.
Cada ampola de 2,0 mL contém imunoglobulinas (igg) heterólogas que neutralizam, no mínimo, 300 DL50 do veneno da aranha Latrodectus sp.: Cartucho com 1 ampola de 2,0 mL.

VIA INTRAMUSCULAR USO ADULTO E PEDIÁTRICO COMPOSIÇÃO
Cada ampola de 2,0 mL contém: Imunoglobulinas (igg) heterólogas que neutralizam, no mínimo, 300 DL50 de veneno de referência da aranha Latrodectus sp (latrodectus curacaviensis).: Excipientes: fenol, cloreto de sódio e água para injetáveis.

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

O soro antilatrodéctico (latrodectus curacaviensis) é indicado para o tratamento do envenenamento causado pela picada da aranha do gênero Latrodectus.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

O soro antilatrodéctico (latrodectus curacaviensis) deve ser administrado por via intramuscular e possui como efeito imediato a neutralização das ações tóxicas do veneno da aranha do gênero Latrodectus na circulação.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

O soro antilatrodéctico (latrodectus curacaviensis) não possui CONTRAINDICAÇÕES, porém, nos pacientes com antecedentes alérgicos à proteína de origem equina ou aos componentes da fórmula, a injeção intramuscular do soro antilatrodéctico deve ser feita com assistência médica, para o controle de possíveis REAÇÕES ADVERSAS à soroterapia.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

O soro antilatrodéctico (latrodectus curacaviensis) pode ser usado em idosos, crianças e grupos de risco desde que seja com assistência médica.

MEDIDAS PRÉVIAS À SOROTERAPIA:
• Conduzir o paciente para a Unidade de Saúde referência (polo de atendimento), mais próxima ao local de ocorrência do acidente para avaliação da aplicação de soro específico, conforme gravidade do acidente e avaliação médica.
• Manter o paciente em repouso, evitando correr ou caminhar.
• Tranquilizar o paciente, podendo ser administrados analgésicos, mas evitando-se drogas de ação depressora do sistema nervoso central.
• Não fazer garroteamento (torniquete) do membro afetado, sucção ou incisão no local da picada.
• Limpar cuidadosamente o local com água e sabão. Não colocar substâncias sobre a ferida (fumo, café, esterco, ervas, etc) ou fazer curativos oclusivos.
• Monitorar sinais vitais e volume urinário.
• Não fazer uso de bebidas alcoólicas.

"Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento."

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

O soro antilatrodéctico (latrodectus curacaviensis) somente é encontrado em serviços de saúde de referência para tratamento de pacientes acometidos por envenenamento por animais peçonhentos.

O soro antilatrodéctico (latrodectus curacaviensis) deve ser armazenado em temperatura de +2 ºC a +8 ºC. NÃO CONGELAR. Uma vez aberta a ampola, o soro deve ser utilizado imediatamente.

O prazo de validade é de 36 meses a partir da data de fabricação. Esse prazo é indicado na embalagem e essa condição deve ser respeitada rigorosamente.

"Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem."
"Não use medicamento com prazo de validade vencido."

"Para sua segurança, mantenha o medicamento na embalagem original."

"Depois de aberto, este medicamento não pode ser reutilizado."

ASPECTO FÍSICO
Solução límpida, incolor a levemente amarelada, livre de partículas visíveis.

"Antes de usar, observe o aspecto do medicamento."

"Caso você observe alguma mudança no aspecto do medicamento que ainda esteja no prazo de validade, consulte o médico ou o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo."

"Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças."

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

O soro antilatrodéctico (latrodectus curacaviensis) deve ser administrado o mais precocemente possível, por via intramuscular.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Não se aplica, por ser de uso restrito a hospitais e com assistência médica.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Reação muito comum (ocorre em 10% dos pacientes que utilizam este medicamento): prurido, rubor cutâneo, urticária, tosse seca, rouquidão, náuseas, vômito, cólicas abdominais, diarreia.

Reação comum (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento): febre baixa, prurido ou urticária generalizados, artralgias, linfadenopatia, edema periarticular e proteinúria.

"Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento."

"Informe a empresa sobre o aparecimento de reações indesejáveis e problemas com este medicamento, entrando em contato através do Sistema de Atendimento ao Consumidor (sac)."

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Não se aplica, por ser de uso restrito a hospitais e com assistência médica.

DIZERES LEGAIS

MS 1.0407.0096 Farmacêutico Responsável: Dr. Jorge Luiz Coelho Mattos CRF-RJ nº 3083

Registrado e Fabricado por: INSTITUTO VITAL BRAZIL S.A.
Rua Maestro José Botelho, 64 - Vital Brazil - Niterói - RJ CNPJ nº 30.064.034/0001-00 Indústria Brasileira
Telefone do Serviço de Atendimento ao Cliente (sac) 0800-0221036
[email protected]

www.vitalbrazil.rj.gov.br

"Uso restrito a hospitais."

"Uso sob prescrição médica."

"Venda proibida ao comércio."

BULA SALD SGE 7618
SORO ANTILATRODÉCTICO para profissionais