Antiinflamatorios



Diclofenax

Indicação

Para quê serve Diclofenax?

Tratamento a curto prazo de: processos reumáticos, inflamatórios e degenerativos; dor e inflamação no pós-operatório; pós-cirurgias ortopédicas ou odontológicas; condições dolorosas em geral e/ou ginecológicas (inclusive processos inflamatórios) como dismenorréia primária; síndromes dolorosas agudas da coluna vertebral; como adjuvante no tratamento de processos infecciosos acompanhados de dor nas faringoamigdalites e otites.

Contraindicações

Quando NÃO devo usar este medicamento?

Úlcera péptica. Hipersensibilidade à substância ativa. Pacientes que apresentam crises de asma, rinite aguda ou urticária precipitadas pelo ácido acetilsalicílico ou por outras drogas inibidoras da prostaglandina-sintetase.

Posologia

Como usar Diclofenax?

A dose diária inicial é de 100 a 150 mg, administrada em 2 a 3 tomadas diárias; nos casos menos graves, na fase de manutenção, ou em crianças acima de 14 anos doses de 100 mg/dia são suficientes, sendo indicado 2 drágeas de 50 miligramas ou 1 drágea AP de 100 mg; no tratamento da dismenorréia, a dose inicial indicada é de 50 a 150 mg/dia, devendo, durante o tratamento, ser ajustada de acordo com a resposta do paciente. No entanto, esta não deve exceder 200 mg/dia; as drágeas devem ser ingeridas inteiras, preferencialmente antes das refeições, com pequeno volume de líquido.

Efeitos Colaterais

Quais os males que este medicamento pode me causar?

Podem ocorrer náuseas, epigastralgia, vômitos, diarréia, cefaléia, tontura, vertigem, erupções cutâneas, edema periférico. Podem ocorrer com menos frequência: sangramento gastrintestinal, úlcera péptica, sonolência, urticária ou distúrbio na função hepática incluindo hepatite com ou sem icterícia, edema, broncoespasmo, reações sistêmicas anafiláticas ou anafilactóides e hipotensão. Casos isolados de úlcera péptica com perfuração, distúrbios colorretais, colite hemorrágica não específica, exacerbação de colite ulcerativa, distúrbios sensoriais ou visuais, diplopias, insônia, irritabilidade e convulsões foram relatadas. Ocasionalmente, podem ocorrer eczema, eritema multiforme, síndrome de Stevens-Johnson e Lyel, queda de cabelo, fotossensibilidade, insuficiência renal aguda, hematúria, nefrite intersticial, síndrome nefrótica, hepatite grave, trombocitopenia, leucopenia, agranulocitose, anemia aplástica e anemia hemolítica.

Advertências e precauções

O que devo saber antes de usar este medicamento?

É necessário rigoroso acompanhamento médico e exatidão de diagnóstico em pacientes com distúrbios gastrintestinais, história de ulceração gastrintestinal, colite ulcerativa ou doença de Crohn, bem como em pacientes com insuficiência hepática grave. A pacientes tratados com diuréticos, assim como em estado de recuperação cirúrgica, deve ser dada atenção especial ao se administrar o diclofenaco, pelo possível comprometimento da função cardíaca ou renal, devido à importância das prostaglandinas na manutenção do fluxo sanguíneo renal. Caso ocorram tonturas ou outros distúrbios do sistema nervoso central, o paciente não deve dirigir veículos ou operar máquinas. Nas ocasiões em que ocorrer ulceração péptica ou sangramento gastrintestinal a medicação deve ser interrompida. Em pacientes idosos deve-se ter cuidado especial com o uso de diclofenaco, considerando-se suas condições clínicas. Em casos de administração de diclofenaco por períodos prolongados, assim como ocorre com outros anti-inflamatórios não esteróides altamente ativos, é aconselhável fazer hemograma e monitorização das funções hepáticas e renais. Gravidez e lactação: o uso durante a gravidez, deve ser precedido de profunda avaliação médica com relação ao potencial de risco para o feto. Esta orientação é particularmente importante nos três últimos meses de gestação (pela possibilidade de ocorrer inércia uterina ou fechamento prematuro do canal arterial). Apesar da administração de doses orais de 50 miligramas em intervalos de 8 horas, ocasionar baixas concentrações no leite materno, o potencial de risco em relação ao lactente deve ser considerado.

Composição

Cada drágea de coloração marrom contém:diclofenaco potássico 50 mg; excipiente q.s.p. 1 drágea. Cada drágea de ação prolongada, coloração vermelha, contém: diclofenaco potássico 100 miligramas AP; excipiente q.s.p. 1 drágea.

Apresentação

Diclofenax 50 mg: caixa com 10 drágeas. Diclofenax 100 miligramas AP: caixa com 10 drágeas.

Laboratório

Infabra Ind. Farm. Bras. Ltda.