Antiinflamatorios



Dkaflan

Indicação

Para quê serve Dkaflan?

Dkaflan é indicado no tratamento a curto prazo das seguintes condições agudas:

Estados dolorosos inflamatórios pós-traumáticos, como por exemplo os devidos a entorses. Dor e inflamação do pós-operatório, como por exemplo após cirurgias ortopédicas ou odontológicas. Agudização do quadro de osteoartrite. Crise aguda de gota. Afecções músculo-esqueléticas. Síndromes dolorosas da coluna vertebral. Condições dolorosas e/ou inflamatórias em ginecologia, como por exemplo, dismenorreia primária ou anexite.

Como adjuvante no tratamento de processos infecciosos graves acompanhados de dor e inflamação de ouvido, nariz ou garganta, como por exemplo nas faringoamigdalites e otites, respeitando os princípios terapêuticos gerais de que a doença de base deve ser adequadamente tratada.

A febre isolada não é uma indicação do produto.

Uso adulto - Uso oral

Farmacocinética

Como funciona este medicamento?

Dkaflan possui um rápido início de ação, o que o torna particularmente adequado para o tratamento de estados dolorosos e/ou inflamatórios agudos.

Posologia

Como usar Dkaflan?

Comprimidos O produto deve ser administrado de preferência antes das refeições.

Como regra a posologia inicial deve ser de 1 comprimido administrado de 2 a 3 vezes ao dia.

Em casos leves, bem como para crianças acima de 14 anos de idade, 1 comprimido duas vezes ao dia é, em geral suficiente.

No tratamento da dismenorreia primária, a posologia, que deve ser adaptada individualmente, é em geral, de 1 comprimido administrado de 1 a 3 vezes ao dia. Inicialmente, administrar 1 comprimido 1 a 2 vezes ao dia e, se necessário, elevar no decorrer de vários ciclos menstruais, até o máximo de 1 comprimido 4 vezes ao dia.

O tratamento deve ser iniciado aos primeiros sintomas e, dependendo da sintomatologia, pode continuar por mais alguns dias.

Efeitos Colaterais

Quais os males que este medicamento pode me causar?

Ocasionalmente podem ocorrer:

Distúrbios gastrintestinais tais como: náusea, vômito, diarreia, cólicas abdominais, dispepsias, flatulência e anorexia. Casos raros como hemorragias gastrintestinais, hematêmese, melena, úlcera péptica com ou sem hemorragia ou perfuração, diarreia sanguinolenta, pancreatite. Casos isolados como distúrbios do intestino delgado tais como: colite hemorrágica e exacerbação da colite ulcerativa ou protocolite de Crohn, estomatite aftosa, glossite, lesões esofágicas, constipação.

Ocasionalmente pode ocorrer cefaleia, tontura ou vertigem, e casos raros de sonolência foram observados. Casos isolados de distúrbios da sensibilidade, incluindo parestesia, distúrbios da memória, insônia, irritabilidade, convulsões, depressão, ansiedade, pesadelos, tremores, reações psicóticas.

Foram observados casos isolados de distúrbios da visão (visão borrada, diplopia), deficiência auditiva, zumbido, alterações do paladar, rash ou erupção cutânea.

Foram observados casos raros de urticária e casos isolados de eritroderma (dermatite esfoliativa), perda de cabelo, reação de fotossensibilidade, púrpura, incluindo púrpura alérgica, erupção bolhosa, eczema, eritema multiforme, síndrome de Stenvens-Johnson, síndrome de Lyel (epidermólise tóxica aguda).

?Foram observados casos isolados de insuficiência renal aguda, anormalidades urinárias tais como: hematúria, proteinúria, nefrite intersticial, síndrome nefrótica, necrose papilar.

Ocasionalmente: elevação dos níveis séricos das enzimas aminotransferases (TGO, TGP).

Casos raros: hepatite, com ou sem icterícia. Casos isolados de hepatite fulminante foram observados.

Casos isolados de trombocitopenia, leucopenia, anemia (hemolítica e aplástica), agranulocitose.

Foram observados casos raros de hipersensibilidade tais como:

Asma, reações sistêmicas anafiláticas/anafilactoides, incluindo hipotensão, casos raros de edema, casos isolados de impotência (a associação com a administração de diclofenaco é duvidosa), palpitação, dor no peito, hipertensão.

Contraindicações

Quando NÃO devo usar este medicamento?

O produto é contraindicado em pacientes com úlcera péptica e em pacientes com conhecida hipersensibilidade à substância ativa.

Como outros agentes anti-inflamatórios não-esteróides o produto também é contraindicado em pacientes nos quais as crises de urticária, asma ou rinite aguda são precipitadas pelo ácido acetilsalicílico ou por outras drogas com atividade inibidora da prostaglandina-sintetase.

Devido às dosagens disponíveis do produto, o produto não é recomendado para crianças abaixo de 14 anos de idade.

Advertências e precauções

O que devo saber antes de usar este medicamento?

A exatidão do diagnóstico e a estreita vigilância médica são essenciais em pacientes com sintomas indicativos de distúrbio gastrintestinal, com história que sugira ulceração gastrintestinal, com colite ulcerativa ou com doença de Crohn, bem como em pacientes com insuficiência hepática grave.

Devido à importância das prostaglandinas na manutenção do fluxo sanguíneo renal, deve ser dada atenção especial ao se utilizar o produto em casos de comprometimento das funções cardíaca ou renal, em pacientes tratados com diuréticos e naqueles em recuperação de grandes cirurgias.

A medicação deve ser descontinuada nas situações em que ocorrer ulceração péptica ou sangramento gastrintestinal.

O tratamento das afecções, nas quais o produto está indicado, dura habitualmente poucos dias. Porém, se ao contrário das recomendações para seu uso, o produto for administrado por períodos mais prolongados, é aconselhável - como ocorre com outros anti-inflamatórios não-esteróides altamente ativos - monitorar o hemograma e as funções hepática e renal.

Pacientes que sentirem tonturas ou outros distúrbios do Sistema Nervoso Central devem abster-se de dirigir veículos ou operar máquinas.

Dkaflan na gravidez: não é recomendável o uso do produto durante a gravidez.

Informe seu médico a ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após o seu término.

Informar ao médico se está amamentando.

Recomenda-se cautela ao utilizar o produto em pacientes idosos, devendo-se levar em conta as condições clínicas destes pacientes.

Interações Medicamentosas Ao ser administrado juntamente com formulações com lítio ou digoxina, o diclofenaco pode elevar suas concentrações plasmáticas; mas ainda não foi encontrado nenhum sinal clínico de superdosagem nestes casos.

Vários agentes anti-inflamatórios não esteróides são responsáveis pela inibição da atividade de diuréticos.

Tratamento concomitante com diuréticos poupadores de potássio pode estar associado à elevação dos níveis séricos do potássio o que o torna necessário o controle dos níveis séricos deste íon.

A administração concomitante de agentes anti-inflamatórios não esteróides sistêmicos pode aumentar a ocorrência de reações adversas, portanto essa associação não é recomendada.

Investigações clínicas não oferecem indícios de que o diclofenaco exerça influência no efeito de anticoagulantes.

Como precaução, entretanto, recomenda-se que ao se administrar o produto e anticoagulantes em tratamento concomitante, sejam feitos testes laboratoriais com a finalidade de verificar se a resposta desejada ao anticoagulante está sendo mantida.

Como com outros agentes anti-inflamatórios não esteroides o diclofenaco em altas doses (200 mg) pode inibir temporariamente a agregação plaquetária.

Estudos clínicos mostraram que o diclofenaco pode ser administrado juntamente com agentes antidiabéticos orais sem influenciar seus efeitos clínicos.

Deve-se tomar cuidado quando drogas anti-inflamatórias não-esteróides forem administradas com menos de 24 horas antes ou após o tratamento com metotrexato, uma vez que a concentração sérica desta droga pode se elevar e sua toxicidade ser aumentada.

Superdosagem

O que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada deste medicamento?

Não há quadro clínico típico resultante da superdosagem do diclofenaco.

As medidas terapêuticas a serem tomadas em casos de superdosagem são: lavagem gástrica e tratamento com carvão ativado, tão cedo quanto possível após a superdosagem, ajudam a evitar a absorção.

Tratamento sintomático e de suporte deve ser administrado em caso de complicações, tais como: hipotensão, insuficiência renal, convulsões, irritação gastrintestinal e depressão respiratória.

Terapias específicas tais como diurese forçada, diálise ou hemoperfusão não são úteis na eliminação de agentes antirreumáticos não esteróides em decorrência do seu alto índice de ligação a proteínas e metabolismo intenso.

Composição

Cada comprimido contém:

Diclofenaco Potássico: 50 miligramas Excipiente q.s.p.: 1 comprimido Apresentação:

Comprimidos: Embalagem contendo 20 ou 100 comprimidos.

Laboratório

Ariston Indústrias Químicas e Farmacêuticas Ltda.

Rua Adherbal Stresser, 84, Jd Arpoador, São Paulo - SP, 05566-000 TEL.: (11) 3783-8000 www.ariston.com.br Dizeres Legais M.S. 1.0270.0115 Farm. Resp.: Drª Eliana de Paula D. Oriolo - CRF-SP nº 6.704 SAC:0800 556222.