Hipoglicemiantes Orais



Euglucon 5 mg

Indicação

Para quê serve Euglucon 5 mg?

Diabetes mellitus não insulinodependente (tipo II, diabetes do adulto) sempre que o tratamento dietético se revelar insuficiente.

Contraindicações

Quando NÃO devo usar este medicamento?

Diabetes mellitus insulinodependente (diabetes tipo I, diabetes juvenil), coma diabético, descompensação metabólica devida a diabetes (por exemplo, cetoacidose), insuficiência renal grave, hipersensibilidade à glibenclamida, gravidez e período de lactação.

Posologia

Como usar Euglucon 5 mg?

A estabilização do diabetes através da glibenclamida deve ser orientada somente pelo médico. De maneira geral, a dose inicial e de 2,5 miligramas a 5 miligramas por dia. Sob supervisão médica, a dose inicial pode ser gradualmente aumentada de 2,5 miligramas até o controle da glicemia. A dose diária máxima é de 15 mg. Em casos excepcionais, pode-se administrar 20 miligramas Esquema posológico: as doses diárias de 2,5 mg, 5,0 miligramas e 10,0 miligramas devem ser administradas antes da primeira refeição; a dose diária de 15,0 miligramas deve ser administrada sendo 10,0 miligramas antes da primeira refeição e 5,0 miligramas antes do jantar. Os comprimidos devem ser ingeridos sem mastigar com um pouco de líquido. A menos que seja prescrito de forma diferente, a primeira dose diária deve ser administrada antes da primeira refeição substancial. É importante observar as instruções do médico para o uso da glibenclamida. Erros de ingestão como, por exemplo, esquecimento de uma dose, nunca podem ser corrigidos tomando-se uma dose maior posteriormente.

Efeitos Colaterais

Quais os males que este medicamento pode me causar?

Náuseas, flatulência epigástrica e diarréia (raras), hipersensibilidade incluindo reações alérgicas cutâneas reversíveis com a suspensão do Euglucon (raras), possíveis reações alérgicas cruzadas com sulfonamidas e derivados de sulfonamida, efeitos no sistema hematopoiético como trombocitopenia, leucopenia, agranulocitose (casos muito raros), anemia hemolítica (casos muito raros), icterícia colestática e hepatite (casos individuais). Foram relatados distúrbios do sistema endócrino com prejuízo do controle metabólico da hiperglicemia e alterações do estado de alerta do paciente requerendo cuidado ao dirigir ou operar máquinas. - Interações medicamentosas: o álcool pode potencializar a ação de Euglucon; alcoolismo crônico pode provocar diminuição de seu efeito. Superdosagem: quadro clínico: hipoglicemia leve: dor de cabeça, irritação, inquietação, excesso de suor, insônia, tremores, diminuição da atenção e do rendimento. Hipoglicemia severa: distúrbios neurológicos e coma hipoglicêmico. A superdosagem com sulfoniluréias pode causar hipoglicemia. Os sintomas de hipoglicemia leve, sem perda de consciência ou distúrbios neurológicos devem ser tratados de forma enérgica, através da administração de glicose por via oral, e ajustes na administração do fármaco e na alimentação do paciente. As reações hipoglicêmicas graves, como coma ou outros problemas neurológicos ocorrem com pouca frequência, porém necessitam de hospitalização imediata. Caso ocorra um coma hipoglicêmico deve-se administrar uma solução concentrada de glicose (50%), seguida por infusão contínua de uma solução de glicose mais diluída (10%) mantendo-se o nível da glicemia acima de 100 mg/dL. Os pacientes devem ser cuidadosamente controlados por um período de 24-48 horas, uma vez que o episódio hipoglicêmico pode reaparecer após uma aparente recuperação clínica.

Advertências e precauções

O que devo saber antes de usar este medicamento?

A observação da dieta e a ingestão regular dos comprimidos são da maior importância para manter a eficácia do tratamento e evitar alterações indesejadas nos níveis de glicemia. Podem ser provocadas reações hipoglicêmicas devido à superdosagem da glibenclamida, interações com medicamentos, erros de dieta (jejum prolongado), grande estresse físico, distúrbios não compensados do sistema endócrino que influenciam o metabolismo dos hidratos de carbono (por exemplo, distúrbios da glândula tireóide) e que influenciam a auto-regulação da hipoglicemia (por exemplo, insuficiência adrenocortical). Os sinais indicativos são cefaléia, irritabilidade, inquietação, sudorese abundante, insônia, tremores, diminuição da capacidade de reação e do estado de alerta. Tais episódios hipoglicêmicos são quase sempre imediatamente controlados com a ingestão de açúcar, suco de frutas adoçado ou chá adoçado, etc. A ocorrência de episódios hipoglicêmicos deve ser imediatamente comunicada ao médico. Em situações incomuns de estresse (por exemplo, cirurgia de emergência), infecções febris, pode tornar-se necessária uma mudança temporária para insulina. A capacidade para conduzir veículos, ou para manejar máquinas pode ser prejudicada. Os betabloqueadores podem mascarar os sinais da hipoglicemia.

Composição

Cada comprimido contém: 5,0 miligramas deglibenclamida.

Apresentação

Caixa com 30 comprimidos sulcados.

Laboratório

Asta Médica Ltda.

Rua Glicério, 497 Liberdade - Sao Paulo - SP CEP: 01.514-000 CNPJ: 71.524.631/0001-58 Telefones Tel: (11) 3209-1660