Hipocolesterinemicos



Lovacor

Indicação

Para quê serve Lovacor?

LOVACOR é indicado no tratamento dos pacientes com concentrações plasmáticas elevadas de colesterol que não respondem à dieta. Reduz os níveis de colesterol total e LDL-colesterol em pacientes com hipercolesterolemia primária. Reduz os níveis elevados de colesterol em pacientes com hipercolesterolemia combinada à hipertrigliceridemia quando a hipercolesterolemia for a anormalidade principal. Não está indicado em hiperlipoproteinemia secundária a outros distúrbios (diabetes, hipotireoidismo, síndrome nefrótica).

Contraindicações

Quando não devo usar este medicamento?

LOVACOR não deve ser administrado a pacientes com insuficiência hepática, uma vez que foram relatadas elevações dos níveis de TGO e TGP (principalmente) relacionadas às doses de sinvastatina. Hipersensibilidade à sinvastatina. Gravidez e lactação.

Posologia

Como usar Lovacor?

O paciente deve ser colocado em uma dieta padrão redutora de colesterol antes de iniciar a administração do LOVACOR e deve continuar a dieta durante a terapia medicamentosa. Recomenda-se dose inicial de 10 mg/dia em uma única tomada. Pacientes com hipercolesterolemia leve e moderada podem ser tratados com posologia inicial de 5 mg/dia. As adaptações das doses podem ser feitas a intervalos de 4 semanas, até o máximo de 40 mg/dia. A posologia de sinvastatina deve ser reduzida se os níveis de LDL-colesterol caírem abaixo de 75 mg/dl (1,94 mmol/l) ou se o colesterol plasmático total cair para menos de 140 mg/dl (3,6 mmol/l). Terapia concomitante: A sinvastatina é eficaz isolada ou associada a sequestradores de sais biliares. Posologia na insuficiência renal: A sinvastatina não sofre excreção renal significativa, portanto, modificações posológicas não devem ser necessárias em pacientes com insuficiência renal.

Efeitos Colaterais

Quais os males que este medicamento pode me causar?

A sinvastatina é, em geral, bem tolerada. Alguns pacientes, entretanto, queixam-se de mialgia e desconforto gastrointestinal, inclusive náusea, dispepsia, flatulência, constipação, diarréia e cólica abdominal. Mais raramente observou-se a presença de cefaléia, astenia, erupção cutânea e prurido. Pode ocorrer também miosite com elevação da creatinina-fosfoquinase. Essa situação é mais comum em pacientes com ingestão simultânea de ciclosporina ou genfibrozil nos casos de insuficiência hepática. Elevações persistentes e acentuadas das transaminases séricas raramente foram relatadas. Podem ocorrer elevações na fosfatase alcalina e na gama-GT. Alterações nos testes de função hepática foram geralmente leves e transitórias. Em estudos clínicos não-controlados e no uso rotineiro foram relatados os seguintes efeitos adversos: náusea, diarréia, erupção cutânea, dispepsia, alopecia, tontura, cãibra muscular, mialgia, pancreatite, parestesia, neuropatia periférica, vômitos, prurido e anemia. Raramente ocorreram rabdomiólise e hepatite/icterícia. Raramente foi relatada uma síndrome de hipersensibilidade aparente que inclui alguns dos seguintes achados: angioedema, síndrome do tipo lúpus, polimialgia reumática, vasculite, trombocitopenia, eosinofilia, aumento de VHS, artrite, artralgia, urticária, fotossensibilidade, febre, vermelhidão, dispnéia e mal-estar.

Composição

Cada comprimido contém 5 mg, 10 miligramas ou 20 miligramas de sinvastatina

Apresentação

LOVACOR 5 mg: Caixas com 30 comprimidos. LOVACOR 10 mg: Caixas com 10 e 30 comprimidos. LOVACOR 20 mg: Caixas com 10 comprimidos.

Maiores informações mediante solicitação.

FARMASA Laboratório Americano de Farmacoterapia S.A.

Introdução

LOVACOR Sinvastatina

Laboratório

Laboratório Americano de Farmacoterapia S.A.