Antiinflamatorios



Nisuflan

Indicação

Para quê serve Nisuflan?

NISUFLAN (nimesulide) é indicado como anti-inflamatório. analgésico e antipirético. No tratamento coadjuvante de doenças otorrinolaringológicas e respiratórias, tais como otites, amigdalites, faringites, laringotraqueítes, bronquites e gripe. Em Ginecologia, no tratamento da dismenorréia primária. Nos estados inflamatórios dolorosos pós-traumáticos. Nos processos inflamatórios musculoesqueléticos agudos. Inflamação e dor nos estados pós-operatórios. Cirurgias odontológicas. Doenças reumatológicas, tais como osteoartrose e artrite reumatóide. Processos inflamatórios urológicos. tais como cistites, uretrites, orquiepididimites e prostatites. Nas flebites e tromboflebites. Cefaléias.

Contraindicações

Quando NÃO devo usar este medicamento?

Hipersensibilidade individual ao produto, ao ácido acetilsalicílico ou a outros fármacos anti-inflamatórios não-esteróides; hemorragias gastrintestinais; úlcera duodenal em fase ativa e disfunções hepática ou renal graves.

Posologia

Como usar Nisuflan?

Adultos: Comprimidos 50-100 mg, 1/2 a 1 comprimido duas vezes ao dia, podendo alcançar até 200 miligramas duas vezes ao dia. Crianças: 5 mg/kg/dia, fracionada a critério médico em 2 administrações.

Efeitos Colaterais

Quais os males que este medicamento pode me causar?

Ocasionalmente podem ocorrer febre, náuseas e epigastralgias, geralmente leves e transitórias. Estes efeitos dificilmente são de ordem tal que seja necessária a suspensão do tratamento. A semelhança de outros fármacos anti-inflamatórios não-esteróides, o medicamento pode provocar sonolência, vertigens, ulcerações pépticas e sangramento gastrointestinal. Foram observados, raras vezes, casos de erupções cutâneas do tipo alérgico.

Advertências e precauções

O que devo saber antes de usar este medicamento?

O produto deve ser administrado com cautela a pacientes com histórico de doenças hemorrágicas, portadores de afecções do trato gastrointestinal superior e em pacientes sob tratamento com anticoagulantes e outros fármacos inibidores da agregação plaquetária. Pacientes em tratamento com substâncias de limitada tolerabilidade gástrica devem ser submetidos a rigoroso controle médico. Por ser a eliminação do fármaco predominantemente renal, o produto deve ter sua posologia adaptada a pacientes com insuficiência renal. O tratamento deve ser suspenso e deve-se proceder a um exame oftalmológico caso ocorram perturbações visuais em pacientes apresentando histórico de alterações oculares devidas a outros fármacos anti-inflamatórios não-esteróides. Não foram relatadas até o momento evidências teratogênicas ou detecção no leite materno, porém o emprego não aconselhado durante os períodos de gravidez e lactação. Em pacientes idosos, é necessário particular atenção na administração do produto.

Superdosagem

O que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada deste medicamento?

Em caso de superdosagem com o produto, recomenda-se indução de êmese ou aspiração e lavagem gástrica. Se ocorrer intoxicação, pode ser necessária diurese alcalina e se houver comprometimento da função renal, poderá ser necessária a realização de uma hemodiálise.

CAZI Química Farmacêutica Indústria e Comércio Ltda.

Composição

Cada comprimido contém: Nimesulida 100 mg; Excipiente q.s.p. 1 comprimido.

Apresentação

Comprimidos 100 mg: Caixa com 12 comprimidos.

Interações Medicamentosas

À semelhança de outros fármacos anti-inflamatórios não-esteróides, a nimesulida pode sofrer interações com o álcool e com substâncias comprovadamente irritativas da mucosa gástrica, exacerbando os respectivos potenciais gastrolesivos; também interage com ácido acetilsalicílico, metotrexato, lítio e anticoagulantes, aumentando o risco de hemorragias gastrintestinais.

Introdução

Nisuflan Nimesulida

Atenção

Este produto é um novo medicamento e embora as pesquisas realizadas tenham indicado eficácia e segurança quando corretamente indicado, podem ocorrer reações adversas imprevisíveis ainda não descritas ou conhecidas. Em caso de suspeita de reação adversa o médico responsável deve ser notificado.

Laboratório

Indústria Brasileira